Procure por assunto (ex.: vacinas, febre, etc.) no ícone da "lupinha" no canto superior esquerdo

27 de março de 2015

Tulogistas



Médicos recém-formados, ansiosos para tratar (quase exclusivamente) de você 


Quando tenho algum problema de saúde (qualquer que seja, mesmo os por mim inventados) qual especialista gostaria de ter sempre à mão?
O especialista em mim ("eulogista", ou da perspectiva do médico, um "tulogista")!
Impossível, claro.
Quem mais se aproximaria desse especialista em mim (fora eu mesmo, ainda que minha visão de mim mesmo seja algo distorcida, sem grande - ou qualquer - distanciamento, tudo em mim é potencialmente grave) seria um parente próximo (tive durante muitos anos um eulogista na figura do meu pai, pediatra como eu) ou um grande amigo, que supostamente me conhece tanto quanto eu mesmo me conheço (ou, curiosamente, do ponto de vista médico, isento, até mais).
Nada disso é o caso da grande maioria das pessoas. O simples acesso ao médico já é um luxo para quase todos.
Com o desenvolvimento das especialidades das últimas décadas, este especialista (o "tulogista", na perspectiva dele) tornou-se uma figura não mais do que mítica. Não só ele não existe, mas está cada vez mais enterrado nos livros de história. Exceção a uma ou outra pessoa, muito importante ou rica.
Hoje vai-se ao médico de partes. Não de nós mesmos. De partes generalizáveis de nós mesmos, o que é uma tremenda roubada. Minha pressão alta, minha úlcera ou simplesmente meu problema digestivo pode ter alguma causa em 99% dos casos atribuíveis a isto ou àquilo. Mas no meu caso, a história pode (e mesmo deve) ser totalmente diferente. 
Especialistas (exceto os "eulogistas") não estão ali para prestar tanta atenção a nós mesmos!

Até porque a fila anda...

24 de março de 2015

Tomando Palcohol




Da seção: Quando Você Achava Que Já Tinha Visto De Tudo...
Nem adianta espernear: o álcool em pó logo, logo será uma realidade.
Álcool em pó pra que?
A indústria se protege dizendo que só serão benefícios. Para uso hospitalar, pra economizar no uso de garrafas, na economia de transporte, etc. Vem em pó e você acrescenta água no volume necessário pra você fazer o que quiser. De desinfetante a bebidinha, de alimentos "para adultos" a produto de limpeza.
Mas tá na cara que criará novos usuários na turma do uso irresponsável, na turma ávida por novidade, na turma do "vamos ver quem morre primeiro com esse negócio".
Por que seria diferente?
Os criadores do Palcohol (o nome da novidade, mas pra nós brasileiros o nome mais interessante seria: Talcool - quero royalties!) garantem que pelo menos cheirá-lo será inviável. E dá pra acreditar. Arderá pra xuxu o nariz do usuário e o volume necessário pro "barato" é meio impraticável. Supositório provavelmente também causará problemas. Mas o povo dá um jeito! O povo é criativo...
Papais, mamães, se preparem. 

Já tenho até as músicas escolhidas para os comerciais:

1) "Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima!"
2) "Subo nesse Palcohol, minha alma cheira a talco, como bumbum de bebê..."

20 de março de 2015

Af!


Doutor, me explique tudo de uma maneira que eu entenda, mas não esqueça que eu entendo muito, mas muito pouquinho mesmo!
Entendo só o básico, tipo 2 + 2, que é quanto, mesmo? Bom, deixa prá lá, que não vem ao caso...
Lembre também que a minha atenção é limitada, exceto na hora de ver a novela. Nessa eu presto uma atenção danada! Falar nisso, hoje é o dia que o Comendador vai voltar pra casa, então apressa aí, doutor!
Me explica isso que o meu filho tem. É do vento, não é? Foi do sorvete que ele tomou ontem, não foi? "Atacou as bixa", não é verdade? É infequição? Tipo uma leucemia? Dá da anemia da mãe na gravidez? 
E os germe? Pegou do chão? Mas, e esse remédio que o senhor tá dando, diz que ataca o coração, é verdade? Se é verdade, não vou dar não. Tem um chá que diz que faz efeito, não sei se o senhor acredita. Receita da benzedeira, pra filha da minha cunhada funcionou, que o que ela tinha era a mesma coisa.
(Senhor pode dar uma baixada no ar condicionado, que esse frio daqui com o calor que tá lá fora, meu filho pega uma peneumonia!)
Mas me diz uma coisa, doutor. Isso vai dar sempre? 
Mais uma coisa, doutor, pode dar uma olhadinha também nesse, que tá se queixando faz dois meses de uma dor na barriga? Pode ser verme? Posso dar o mesmo remédio? Mas vai fazer mal pro coração (se faz mal pro coração, não vou dar, não!).

Tem retorno?
Tem desconto?
Faz recibo?
Doutor, tô achando o senhor meio pálido. É infequição? Tipo uma leucemia?

17 de março de 2015

Tabuleta


Existe uma condição (condição é aquele problema médico que temos alguma vergonha de chamar de doença) em que a grande recomendação é: não esqueça a tabuleta!
A incidência da urticária cresce na medida que as doenças infecciosas que se parecem com ela diminuem. 
É, às vezes, "feia" - mas quase nunca séria - provocada em muitos casos por medicações ou alimentos "artificiais" (com corantes, conservantes, e outros "antes") e, por isso mesmo, em ascensão.
Como a memória de todos traz à tona doenças "perigosas" (sarampo, rubéola, escarlatina - que na era pré-antibiótico matava - etc.) e contagiosas, bota todo mundo aquele olhão na criança com urticária.
Essa não "passa" para os outros (pode encostar, pode abraçar, pode beijar, pode morder). A criança poderia, então, ir à aula normalmente.
Falo poderia porque é difícil a compreensão justamente do que estou explicando aqui.
Solução? 
A tal tabuleta, pendurada no pescoço da criança:
"Não contagioso!"

(Gente, isso da tabuleta é brincadeira. Fico com algum medo que essas brincadeiras vinguem...)

13 de março de 2015

De Olhos Fechados

- E pra febre, tá dando o que?
- Iprupro... Ibrubro...
- Ibuprofeno?
- Esse aí!
- E por que não está dando paracetamol, dipirona?
- Porque o médico receitou...
- Ah, o médico receitou!... Então agora tudo o que médico receita, você dá de olhos fechados?
- ?...
- Se o teu médico mandar você comprar uma Brasília amarela, você compra sem discussão? Se o teu médico disser que você tem que usar calça boca de sino com suspensório, você usa? Você sabia que o iprupro... o ibrubro... o ibuprofeno causa com frequencia sangramento no estômago ou no intestino?
- Não...
- Você sabia que o ibuprofeno provoca ou piora sintomas respiratórios do tipo asmático?
- Não!
- Você sabe que o ibuprofeno é, na verdade, um antiinflamatório travestido de analgésico para que venda mais?
- Não, eu...
- Você sabia que o lobby a favor do ipru... ibuprofeno é o lobby da poderosa indústria americana de medicamentos contra a "mais honesta" indústria européia?
- Não, doutor, como é que eu ia saber isso?
- Se informando, minha senhora. Parando um pouco pra pensar nos motivos pelos quais médicos que antes receitavam paracetamol e dipirona, hoje em dia só receitam esse tal de ibru, ibu-pro-feno!
- Mas, doutor, foi receita médica... E depois, esse remédio é meio gostosinho, branquinho, esse o Juninho aceita!
- Ah, gostosinho, branquinho, o Juninho aceita, a senhora dá? Vou te receitar, então, outro gostosinho, branquinho, pra ver se o Juninho aceita!
- Açúcar, né, doutor (rindo)?
- Não! Diabo verde! (perdendo a paciência)

(Mas, agora, falando um pouco mais sério: deve haver algum excelente trabalho de marketing ou algum apelo de aspecto ou nome ou uma imagem de novidade frente aos analgésicos mais "antigos" ou um gostinho mais interessante ou o que quer que seja que faz com que essa medicação tão cheia de reações adversas seja tão bem aceita por médicos e mesmo pelos pacientes...)